Contatos 11 3492-0169 11-5513-6064        11- 98255-6755 HOME VOLTAR PRÓXIMA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
AS 3 CABAÇAS: EXU, OBATALA E ORUNMILA. Itan (lenta): Olodumare   o   Deus   supremo   após   criar   o   Universo   o   deixou   em   livre   expansão,   então   decidiu   criar   uma   divindade para criar o mundo e os espécimes para habita-lo. Então   Exu   (1°Cabaça)   foi   criado   do   próprio   sopro   de   Olodumare,   após   sua   criação   Olodumare   lhe   deu   a   liberdade para criar o Ayé (terra). Exu   uniu   todas   as   partículas   de   agua   e   assim   formou   uma   esfera   de   agua   próximo   da   maior   estrela   que   encontrou (Sol)   é   de   dentro   de   seu   saco   de   poderes      tirou   um   punhado   de   terra   e   despejou   na   agua   ate   que   formasse   uma grande   área   de   terra   firme   e   ali   começou   a   sua   criação,   primeiro   criou   o   rios,   depois   as   arvores,   as   plantas,   tudo   em enormes   proporções,   depois   criou   os   primeiros   animais   herbívoros,   animais   enormes   e   desproporcionais   para   o ambiente   mais   era   assim   que   Exu   gostava,   após   muitos   anos   resolveu   criar   o   primeiro   ser   que   fosse   mais   parecido com   ele   (Homo   habilis   na   África   oriental),   um      ser   grosseiro   que   não   tinha   (Ori),   não   falava   e   só      grunhia,   com   o   tempo Exu    foi    aperfeiçoando    suas    criações    mais    estava    longe    da    perfeição,    este    homo    era    carnívoro    e    começou    a desenvolver a habilidade de caçar, matar para comer. Com   a   terra   criada   seus   habitantes   vivendo   o   ciclo   da   vida   e   da   morte   fez   com   que   Exu   se   sentisse   muito   poderoso   a ponto   de   desafiar   Olodumare   para   controlar   o   Universo,   enlouquecido   com   o   próprio   poder      Exu   começou   a   comer tudo   que   tinha   criado   e   a   destruir   a   terra,   a   cada   ser   vivo   que   Exu   comia   ele   ficava   maior   e   mais   poderoso,   então Olodumare   tira   de   Exu   o   poder   da   criação   e   da   vida   e   cria   a   segunda   divindade   (   2°   Cabaça),Obatala   e   a   este   da   o poder   da   criação   e   da   vida,   Olodumare   ordenou   que   Obatala   desce-se   a   terra   para   restabelecer   a   ordem   e   fazer   Exu parar   de   comer   tudo,   Obatala   não   conhecia   o   caminho   para   descer   a   terra   pois   foi   Exu   que   o   criou   e   só   ele   conhecia, então   Obatala   foi   ordenar   a   Exu   que   lhe   ensinasse   o   caminho   dizendo   que   Olodumare   que   ordenara,   Exu   se   recusou dizendo   que   só   ele   tinha   o   poder   de   descer   a   terra,   após   violenta   discussão   Exu   resolveu   dar   uma   condição,   que   se Obatala   bebesse   com   ele   lhe   ensinaria   o   caminho,   então   lhe   ofereceu   uma   bebida   que   ele   tinha   criado   da   palmeira (alguns   Itans   dizem   que   é   através   da   Palmeira   que   Exu   desce   a   terra),   Obalata   então   bebeu   o   Vinho   de   Palma,   ele adorou o sabor da bebida que era refrescante e acabou bêbado e desmaiando. Olodumare   vendo   o   quanto   Exu   era   poderoso   e   astuto   de   mais   percebeu   que   não   seria   fácil   derrota-lo   então   resolveu tirar   de   Exu   o   dom   da   sabedoria   suprema   e   da   adivinhação   e   assim   criar   a   terceira   divindade   (3°   Cabaça),   Orunmila, Olodumare   ordenou   que   Orunmila   intercedesse   na   guerra   entre   Exu   e   Obatala   pois   tudo   estava   sendo   destruído   na Terra. Orunmila   como   tinha   o   poder   da   adivinhação   e   da   sabedoria   consultou   seu   Oraculo   para   descobrir   como   derrotar   o poderoso   Exu   com   a   ajuda   de   Obatala,   a   única   forma   era   criar   um   cajado   com   poderes   para   Obatala   e   deixar   que   Exu comesse   tudo   o   quanto   aguentasse   assim   Exu   ficaria   muito   cansado,   Exu   estava   cada   vez   mais   enfurecido   e descontrolado   começou   novamente   a   comer   tudo   na   terra   e   a   lançar   de   seus   olhos   bolas   de   fogo   na   terra,   quanto mais   Exu   comia   maior   ele   ficava,   então   Orunmila   aproveitou   que   Exu   estava   tão   grande,   cansado   e   absolvido   na   sua loucura   para   lhe   roubar   o   seu   saco   de   poderes   e   soprou   o   próprio   pó   de   Exu   nele   que   o   fez   ficar   atordoado,   então Obatala   aproveitou   para   subir   até   a   cabeça   de   Exu   e   lhe   bater   com   toda   força   com   seu   cajado   na   cabeça   dele   a   força foi   tão   grande   que   formou   uma   enorme   nuvem   de   fumaça   que   cobriu   o   Sol   fazendo   com   que   a   Terra   se   congelasse (entrou   na   era   do   gelo   que   durou   milhares   de   anos)   e   partiu   Exu   em   sete   pedaços,   mais   mesmo   partido   em   sete   Exu ainda   era   enorme   então   Orunmila   ordenou   que   Obatala   batesse   mais   56   vezes   e   a   cada   batida   Exu   era   dividido   em   7 pedaços até que se formou 399 divisões de Exu. Orunmila   convenceu   a   Olodumare   que   nenhuma   divindade   podia   ter   tanto   poder   então   Olodumare   pegou   398   dos pedaços   de   Exu   e   os   transformou   nos   primeiros   Irunmales,   formando   assim   com   Exu,   Obatala   e   Orunmila   os   401 Irunmales,   cada   um   com   seu   poder   que   trabalhando   juntos   iriam   reconstruir   a   terra   e   povoa-la   novamente   com animais e seres inteligentes. Exu   ficou   responsável   pela   ordem   na   terra   junto   com   sua   criação   para   ensina-los   e   fiscaliza-los,   e   Obatala   ficaria   no Orun   dando   vida   a   todo   novo   ser   criado,   Orunmila   ficou   responsável   de   garantir   que   Exu   desce   a   terra   e   se comportasse   fazendo   dele   seu   mensageiro   entre   a   humanides   e   as   divindades   e   como   a   primeira   divindade   criada seria o Único Irunmale, a saber, o caminho da terra (Aye) para o céu (Orun).