Contatos 11 3492-0169 11-5513-6064        11- 98255-6755 HOME VOLTAR PRÓXIMA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Falando um pouco sobre Magia Goétia Meu   ”   papel   ”   aqui   não   é   o   de   nem   criticar   e   nem   apoiar   este   ou   aquele   proceder   espiritual   ,   nesta   matéria   trago   um   pouco   de   esclarecimento      sobre   o   que se refere esta magia da qual não pratico . A   magia   goetia   reveste   um   papel   excepcional   dentro   da   magia   obscura,   atraindo   muitos   praticantes   com   os   seus   demônios;   as   evocações,   os   sugestivos selos   e   as   histórias   que   falam   de   resultados   potentes   e   devastantes   são   numerosas. Alan   Bennet,   o   mestre   de Aleister   Crowley,   em   um   dos   seus   primeiros encontros   com   o   seu   discípulo,   em   1899,   disse   a   ele:   “Pequeno   irmão,   estais   mechendo   com   a   Goetia”.   Crowley   negou   e   disse   que   não   valia   nem   a   pena pronunciar   o   nome.   Bennet   replicou:   “Nesse   caso   a   Goetia   esta   mechendo   contigo”.   “Goetia”   é   o   nome   da   primeira   –   e   mais   famosa   –   parte   do   grimório Lemegeton,   chamado   também A   Chave   Menor   do   Rei   Salomão. A   Goetia   contém   a   descrição   de   72   demônios   e   traz   em   maneira   muito   vívida   a   descrição do   aspecto   dos   demônios,   que   são   chamados   atravéz   das   evocações,   e   apresenta   os   seus   nomes   e   classe   ao   interno   da   hierarquia   infernal   e   as   legiões de   espíritos   que   controlam.   Cada   demônio   tem   um   selo;   esses   espíritos   podem   ser   evocados   por   diversos   motivos:   aprender   a   filosofia   ou   até   fazer   com que   as   mulheres   fiquem   nuas   ao   comando   do   mago.   O   Lemegeton   existe   em   muitos   manoscritos   originais   que   se   diferenciam   levemente   um   do   outro, apresentando   leves   variações   no   nome   dos   espíritos;   em   algumas   variações,   o   Lemegeton   consiste   em   cinco   partes   e   em   outras   somente   quatro. Além   da Goetia,   tem   a   Theurgia   Goetia,   que   descreve   31   espíritos   correspondentes   às   direções   cardinais,   contém   diversos   selos   e   os   espíritos   descritos   são considerados   seja   boms   que   malvados.   O   terceiro   livro   do   Lemegeton   é Ars   Paulina,   que   fala   dos   anjos   que   correspondem   as   horas   do   dia   e   aos   signos   do zodíaco.   O   quarto   livro   é   o   mais   curto   e   é   chamado   Ars   Almadel.   O   quinto   é   Ars   Notoria,   e   é   o   mais   antigo,   mas   não   aparece   em   todas   as   versões   do Lemegeton. Crowley,   junto   com   o   seu   companheiro   magico   George   Cecil   Jones,   utilizou   a   Goetia   e   evocaram   o   demônio   Buer, que   a   sua   particularidade   é   a   cura   das   doenças;   os   dois   desejavam   ajudar   o   mestre   magico   de   Crowley, Alan   Bennet, que   era   gravemente   doente   de   asma:   Bennet   deveria   viajar   em   lugares   com   o   clima   mais   quente,   mas   não   havia   os meios   para   fazer   isso.   Crowley   e   George   Cecil   Jones   conseguiram   evocar   Buer,   fazendo   ele   aparecer   visivelmente, mas   como   o   seu   aspecto   não   correspondia   a   descrição   da   Goetia,   os   dois   pensaram   que   a   operação   tivesse   falido. Pouco    depois,    segundo   Aleister    Crowley,    as    coisas    começaram    a    andar    bem    em    maneira    milagrosa:    Bennet conseguiu   se   transferir   ao   Sri   Lanka,   como   desejava.   Crowley   entendeu   que,   no   final   das   contas,   a   operação   foi   um sucesso. “Os   “demônios”   fazem   parte   da   área   racional   do   cérebro,   portando   uma   capacidade   de   raciocínio   gigantesca. Apenas aquele   que   tem   o   hemisfério   cerebral   racional   totalmente   conquistado,   poderá   trabalhar   com   essas   forças   sem   ser prejudicado.   Caso   contrário,   o   pedinte   será   destruído   por   sua   própria   incapacidade   de   compreensão,   previsão   e raciocínio lógico, o que servirá de instrumento cármico como preço pelo egoísmo”.   Todos   já   ouviram   falar   sobre   os   72   gênios   ou   demônios   que   o   Rei   Salomão   aprisionou   dentro   da   arca   de   bronze,   mas não   se   foi   muito   falado   sobre   esses   72   seres,   além   do   que   se   encontra   nos   grimórios   comuns   (clavículas   de Salomão)   que   ensinam   a   evocá-los.   O   nome   “goetia”   provém   de   Johann   Wolfgang   von   Goethe   (Frankfurt   am   Main,   28   de   Agosto   de   1749   —   Weimar,   22 de   Março   de   1832)   foi   um   escritor   alemão,   além   de   cientista,   filósofo   e   botânico.   Como   escritor,   Goethe   foi   uma   das   mais   importantes   figuras   da   literatura alemã e do Romantismo europeu, nos finais do século XVIII e inícios do século XIX. Juntamente   com   Friedrich   Schiller   foi   um   dos   líderes   do   movimento   literário   romântico   alemão   Sturm   und   Drang.   Foi   o   autor   da   peça   Fausto,   publicada   em duas   partes,   a   saber:   em   1806,   a   primeira   e   mais   famosa   e   a   segunda   em   1833,   porém   inacabada.   Fausto   é   o   protagonista   de   uma   popular   lenda   alemã de   um   pacto   com   o   demônio,   baseada   no   médico,   mágico   e   alquimista   alemão   Dr.   Johannes   Georg   Faust   (1480-1540).   O   nome   Fausto   tem   sido   usado como   base   de   diversos   romances   de   ficção,   o   mais   famoso   deles   do   autor   Goethe.   Considerado   símbolo   cultural   da   modernidade,   Fausto   é   um   poema   de proporções   épicas   que   relata   a   tragédia   do   Dr.   Fausto,   homem   das   ciências   que,   desiludido   com   o   conhecimento   de   seu   tempo,   faz   um   pacto   com   o demônio Mefistófeles, que lhe enche com a energia satânica insufladora da paixão pela técnica e pelo progresso. Johannes   Georg   Faust,   o   homem,   nasceu   no   ano   de   1480   em   Knittlingen,   na   região   de   Württemberg,   Alemanha.   Segundo   o   teólogo   protestante   Philipp Melanchthon   (1497-1560),   quase   conterrâneo   seu   e   que   ele   tratou   não   muito   amigavelmente   em   Wittenberg,   entre   1525   e   1532,   Fausto   teria   estudado   em Cracóvia,   onde   a   magia   era   então   matéria   curricular.   Consta   que   ele   fez   uma   conferência   em   Worms,   em   1539,   e   que   “muitas   pessoas   se   deixaram   iludir”. Também   é   fato   que   muitas   famílias   de   destaque   o   acolhiam   e   algumas   lhe   confiavam   à   educação   dos   filhos.   Quando   ele   morreu   em   1540,   em   Staufen   im Breisgau,   não   faltou   quem   jurasse   ter   sido   por   obra   do   diabo,   que   lhe   viera   esganar.   O   próprio   Melanchton   admitiu   a   hipótese   de   tratar-se   de   morte sobrenatural.   No   intuito   de   compilar   tudo   quanto   se   acreditava   e   dizia   acerca   de   Fausto,   Johann   Spiess,   livreiro   e   escritor   de   Frankfurt,   compôs   no   ano   de 1587   a   primeira   narrativa   literária   desse   personagem.   Era   um   volume   de   227   páginas,   intitulado   como   a   Historia   von   dr.   Johann   Fausten,   cujo   enredo contava   como   ele   se   vendeu   ao   diabo   a   prazo   estipulado,   as   extraordinárias   aventuras   que   viveu   nesse   ínterim,   a   magia   que   praticava,   e   por   fim   sua   morte e danação. Tudo   isso   publicado   para   servir   de   advertência   sincera   contra   os   que   levavam   a   curiosidade   intelectual   além   do   limite   estabelecido   pelas   igrejas.   Como sempre,   tudo   o   que   a   igreja   faz   ou   tenta   fazer,   acaba   se   voltando   contra   os   seus   próprios   propósitos,   pois   qual   é   o   estudante   de   ocultismo   que   não conhece   ou   não   foi   inspirado   pela   tão   famosa   “Goetia”!   Outra   coisa   de   importância   a   se   comentar   é   a   diferença   entre   os   termos   “invocar   e   evocar”.   Invocar significa   chamar   para   dentro   de   si,   enquanto   evocar   seria   trazer   a   sua   frente   “visivelmente”.     A   goetia   se   trata,   não   de   invocação,   mas   de   evocação   “visível” das forças mágicas de nossa psique. Existem diversos livros e grimórios que tratam desta mesma arte, mas de formas diferentes. Existem   pessoas   que   fazem   separação   entre   técnicas   e   técnicas   de   uma   forma   que   parece   que   jamais,   por   exemplo,   um   demônio   Sumeriano   (antiga Suméria)   do   Necronomicon,   aceitaria   um   chamado   feito   pelas   técnicas   das   clavículas   de   Salomão.   Eu   particularmente   acredito   que   “tomando   os   devidos cuidados”,   pode-se   evocar   uma   entidade   de   qualquer   forma,   basta   ter   autonomia   e   autoridade   espiritual   para   tanto.   Digo   isso   porque   se   isso   não   fosse possível,   o   verdadeiro   livro   da   goetia   seria   o   “Corvo   negro”,   que   diz   ser   o   livro   que   o   próprio   doutor   Fausto   escreveu   relatando   as   suas   técnicas   e   formas de   evocar   entidades   como   Ariel,   Marbuel   e   o   próprio   Mefistófeles,   entre   outros.   Quem   já   leu   este   livro   sabe   que   as   técnicas   são   CRISTÃS,   assim   como alguns   dos   maiores   grimórios   de   evocação   e   pactos   da   terra   foram   escritas   por   papas.   Oras,   como   algo   que   é   tão   discriminado   e   apontado   como   proibido ou   diabólico   é   exercido   por   papas   ou   estudado   dentro   da   “santa   igreja”?   Faça   o   que   eu   falo,   mas   não   faça   o   que   eu   faço!   Mas   na   verdade   o   que   são   essas 72   entidades   que   o   Rei   Salomão   aprisionou   dentro   da   arca?   Cientificamente   falando,   o   hemisfério   esquerdo   do   cérebro   é   o   responsável   por   nossa   parte “racional”,   enquanto   que   o   hemisfério   direito   é   o   responsável   por   nossa   parte   emotiva.   A   diferença   é   apenas   em   que   lado   cerebral   você   direcionará   sua energia   (kundalini).   Se   você   direcioná-la   pelo   hemisfério   esquerdo   para   depois   cair   no   direito   (razão   sobre   emoção)   você   pertencerá   ao   tão   famoso   e temido   “caminho   da   mão   esquerda”.   Esse   também   é   o   caminho   da   “serpente   da   sabedoria”   que   percorre   todos   os   lados   da   árvore   da   vida.   Isso   explicaria em   partes   a   analogia   bíblica   em   que   a   serpente   diz   a   Eva   para   comer   a   fruta   DO   CONHECIMENTO   DO   BEM   E   DO   MAL.   “Na   verdade   não   morrereis,   mas serão como Deus, conhecedores do bem e do ma Se   a   pessoa   escolhe   percorrer   do   hemisfério   direito   para   o   esquerdo,   “emoção   sobre   razão”,   então   ela   estará   trilhando   a   Tradição   da   Pomba,   ou   o caminho   da   mão   direita   (via   cardíaca   “coração”).   É   claro   que   cada   um   caminha   de   acordo   com   sua   capacidade,   medos,   etc.,   mas   não   sabeis   vós   que   a ultima   área   cerebral   criada   é   a   área   da   razão?   Escritores   como   o   tal   Samael   Aun   Weor   dizem   que   os   magos   racionais   são   magos   negros,   não   sabe   ele que   a   área   emotiva   do   cérebro   é   a   área   MAMÍFERA,   que   foi   necessária   para   que   os   répteis   aprendessem   a   ter   INSTINTOS   MAIS   EVOLUÍDOS   como   a amor   às   proles?   Não   sabe   ele   que   quando   se   chega   ao   topo   da   compreensão   dos   instintos,   eles   não   serão   mais   necessários?   Os   instintos   são   formas   de controle   e   cuidado   que   foi   necessário   para   a   nossa   preservação   até   os   dias   de   hoje,   pois   nas   etapas   primitivas,   se   os   humanos   não   sentissem   fome, morreriam   sem   saberem   o   porquê.      Mas   a   partir   do   momento   em   que   você   compreende   o   funcionamento   do   seu   corpo,   você   sabe   que   a   alimentação   é necessária,   você   não   esperará   mais   dar   fome   para   buscar   comida.   Logo,   essa   área   cerebral   inativa   por   longa   data   deixará   de   existir   em   nosso   cérebro   por não ter mais utilidade ou necessidade, você será totalmente racional! Mas   antes   disso   acontecer,   você   precisará   sim,   no   caminho   evolutivo,   vencer   toda   essa   área   emocional   para   finalmente   ascender   à   área   totalmente racional   de   seu   cérebro.   Essa   área   emocional,   assim   como   a   reptiliana   (subconsciente   instintivo   primário),   terão   que   ser   dominadas TOTALMENTE.   Isso   é bem   expresso   na   frase AMOR   SOB   VONTADE.   Pois   bem,   a   palavra   “virtude”,   quer   dizer:   (Força   moral;   disposição   para   a   prática   do   bem;   Boa   qualidade moral).   Explicando   com   minhas   palavras,   os   estudiosos   do   ocultismo,   independente   de   ser   da   mão   direita   ou   esquerda,   já   ouviram   falar   sobre   as   72 virtudes   de   Deus.   OS   72   anjos   Cabalísticos   representam   as   72   virtudes   dos   72   nomes   de   Deus   da   Schemhamphorash.   Mas   o   que   são   essas   72   virtudes? Simples,   são   72   áreas   do   hemisfério   direito   “emotivo”   do   cérebro   que   devem   ser   conquistadas   e   conhecidas   CONSCIENTEMENTE.   Agora   pensem,   e   no hemisfério   esquerdo,   o   que   são   essas   72   áreas?   Oras   os   72   demônios   da   goetia   que   o   Salomão   aprisionou   em   uma   arca   de   bronze.   Na   verdade   a polaridade   oposta   dos   72   anjos.   Mas   se   são   áreas   da   psique,   como   é   que   Salomão   conseguiu   aprisionar   dentro   de   uma   arca?   Porque   neste   caso   não eram   as   72   áreas   apenas   dele,   mas   a   representatividade   energética   das   72   áreas   de   todo   o   planeta   terra!   Ou   como   Jung   dizia   o   inconsciente   coletivo. As 72   áreas   “morais”   do   hemisfério   direito   e   os   72   poderes   mágicos   e   intelectuais   do   hemisfério   esquerdo.   E   quais   temos   que   conquistar?   TODOS!   Qualquer um   que   conquistar   apenas   uma   metade   será   um   mago   incompleto   e   fazendo   parte   do   desequilíbrio.   Além   do   que,   72   mais   72   é   igual   a   144,   é   a representatividade bíblica dos 144 mil escolhidos de Deus citado em apocalipse. Conjuração com Goétia O   trabalho   com   os   espíritos   da   Goetia   é   um   daqueles   tópicos   que   dá   o   que   falar   nos   círculos   mágicos.   Muitas   das discussões   sobre   o   assunto   giram   em   torno   de   ritos   de   evocação   –   ritualisticamente   convocar   um   espírito   para adquirir   informação,   conhecimento   ou   mesmo   realizar   algum   tipo   de   acordo   com   o   mesmo   que   beneficie   o magista.   Geralmente   estes   rituais   de   evocação   vêm   de   fontes   cerimoniais,   e   os   rituais   envolvem   toda   forma   de círculo, com nomes e línguas antigas, ferramentas elaboradas, sigilos e uma série de contra-indicações. No entanto, apesar dos debates, existem ainda aqueles que querem colocar sua mão no fogo para conseguir a juda   de   alguns   espíritos   da   Goetia.   Muitas   destas   pessoas   não   têm   treinamento   ou   tem   pouco   no   que   confere   a prática   cerimonial,   e   não   tem   a   menor   vontade   em   aprender   para   conseguir   a   ajuda   destes   seres.   Será   que   eles são   pobrezinhos   sem   sorte?   Não!   Com   certeza   existem   métodos   mais   diretos   de   se   trabalhar   com   esta   classe   de espíritos   que   vai   soar   muito   anti   -natural   para   qualquer   um   que   tenha   feito   algum   trabalho   de   entrega   mais complexo.   Nas   minhas   viagens   pela   Web   eu   encontrei   um   método   que   funcionou   muito   bem   para   mim,   muitas pessoas pediram que eu compartilhasse, então aqui estou eu compartilhando. Eu   aprendi      este   método   através   de   um   post   na   list   do   yahoo   EvocationalMagics   yahoogroup,   com   um   praticante   experiente   chamado   Aghor   Pir,   que   por sua   vez   aprendeu   em   um   outro   grupo   de   discussão   com   um   membro   apelidado   de   “Thief”   que   então   acrescentou   alguns   de   seus   elementos   próprios   para que   ficasse   mais   confiável   e   aumentasse   a   eficácia.   Então,   como   muitas   práticas   ocultas,   esta   foi   uma   que   evoluiu   com   o   tempo,   eu   ouvi   dizer   que   tal técnica se assemelha muito com os métodos de evocação Árabes. O   processo   como   descrito   pelo   Aghor   Pir   foi   dado   num   contexto   de   magia   sexual,   que   ele   realizou   com   a   ajuda   do   Espírito   da   Goetia,   Sitri,   em   nome   de um   amigo   dele.   Portanto   as   instruções   foram   específicas   para   aquele   espírito   e   para   aquela   petição   em   especial,   mas   é   simples   extrapolar   qualquer processo   básico   e   focar   no   espírito   que   você   quiser.   Eu   mesma   usei   com   diversos   espíritos   da   Goetia,   incluindo   Sitri,   Buer   e   Bune,   com   resultados   muito positivos. Nas instruções abaixo eu destaquei em negrito as orientações básicas dadas pelo Aghor Pir e coloco meus comentários em fonte normal. Primeiramente: O preparo. Faça   sua   lição   de   casa   –   escolha   o   espírito   que   mais   lhe   apeteça   fazendo   o   mínimo   de   pesquisa,   pelo   menos!   E   tenha   o   selo   deste   por   perto,   como referência.   Procure   pelo   Enn   do   espírito,   que   é   uma   frase   de   invocação   que   atrai   a   atenção   deles   usado   por   tradições   Demônolatras,   você   pode   encontrar uma lista delas, incluindo a pronúncia, neste link: http://magikana.blogspot.com/2008/09/demonic-enns-pronunciation.html *A   entoação   do   Enn,   alimenta   os   espíritos.   Além   de   atrai-los,   te   conecta   á   ele   e   então,   sua   energia   flui   para   ele.   A   chave   é   a   concentração   no   espirito   e selo, enquanto entoa, de preferência de maneira calma e/ou vibrando. *Caso esteja sem o Enn, você pode apenas entoar o nome do Espirito. Dá o mesmo resultado. Parte 2: Junte suas ferramentas! Escolha   que   óleo   ou   incenso   que   serve   o   seu   propósito,   cores   de   vela   específica   (ou   mesmo   velas   pequenas,   brancas,   se   você   estiver   se   sentindo minimalista,   preguiçoso   ou   pobre.   Eu   mesma   já   usei   e   tive   resultados   excelentes!)   Eu   também   tenho   uma   vela   extra   com   um   pouco   de   óleo   de   hortelã- verde,   ou   algum   outro   óleo   específico   de   acordo   com   a   sua   intenção,   o   sistema   septnário   carrega   as   melhores   associações,   para   estabelecer   conexão com os espíritos e então conseguir resultados.     Você vai precisar de um imã, de preferência chato. Eu uso também areia magnética.     Uma foto de seu alvo, ou problema, também é necessária.     Eu também gosto de incorporar o uso de uma pequena quantidade de ervas que foram picadas ou mesmo terra com as devidas orações e atenção.     É legal ter também um colar de contas, para manter a contagem das vezes que o Enn for repetido durante o ritual.   1.   Desenhe   um   triângulo   num   pedaço   de   papel   e   ao   lado   de   cada   lado   de   fora   do   triângulo   escreva   seu   pedido.   Eu   particularmente   gosto   de   recortar   um triângulo   num   papel   pardo   para   usar   em   ritos   assim,   onde   eu   escrevo   na   cor   apropriada   o   pedido,   mas   isto   sou   eu   sendo   detalhista,   você   pode   fazer   do jeito que quiser. 2.   Prepare   o   Selo   do   Espírito.      Se   você   tem   habilidades   artísticas,   pode   querer   desenhar   o   selo   por   si   mesmo   na   cor   específica   enquanto   canta   o   Enn.   Do contrário, imprima-o. Eu gosto de retraçar o selo com Sangue de Dragão ou alguma substância similar, enquanto rezo ou entoo o Enn. 3.      Com   o   óleo   apropriado,   unte   as   três   velas   coloridas   e   as   coloque   em   cada   ponta   do   triângulo.   Unte   a   vela   branca   com   óleo   de   hortelã-verde   e   deixe   de lado por hora.   –Você vai colocá-la no centro do triângulo logo, logo. *Untar as velas, além de um ato de respeito ao espirito, faz com que sua energia seja transferida para a vela, desse modo, “engordando” o espirito mais. 4.   Coloque   a   foto   de   seu   alvo   ou   do   que   quer   que   seja   seu   desejo   no   centro   do   triângulo.         Eu   gosto   de   colocar   um   pouco   de   ervas,   ou   você   pode   usar algum tipo de pólvora em cima da figura. Uma visualização forte, é tão eficaz quanto. 5. Coloque o imã no centro da figura. Eu normalmente unto o imã com o óleo específico do Espírito. 6   .Coloque   o   selo   do   Espírito   no   centro   da   figura,   sobre   o   imã.      Eu   gosto   de   então   colocar   um   pouco   de   areia   magnética   sobre   o   selo,   assim   o   imã   se prende a todo o preparo. 7. Então coloque a vela branca untada sobre o selo do Espírito. 8. Acenda as velas do triângulo num sentido-horário. 9.   Entoe   o   Enn   108   vezes.         Você   pode   aumentar   o   número   de   vezes   que   entoa   o   Enn,   bem   como   pode   diminuir,   a   necessidade   é   sua   na   verdade.   Eu gosto   de   tocar   um   sinete   enquanto   entôo   o   mantra,   parece-me   que   isto   ajuda   a   atrair   a   atenção   do   Espírito   e   permite   que   a   intenção   mágica   cruze   os planos sutis. 10. Acenda a vela branca e repita o seu pedido, tendo certeza de pronunciar o nome completo de seu alvo. Faça isso três vezes. 11.   Mande   o   espírito   para   realizar   seu   trabalho,   “Vá,   grande   espírito_______,   e   realize   o      meu   desejo   desejo   _______.   Rápido!   Rápido!   Rápido!   E   sem causar   mal   ou   sofrimento   a   ninguém!”      Obviamente,   se   seu   pedido   é   fazer   mal   a   alguém,   ou   caso   você   não   se   importe   com   isso,   somente   que   o   trabalho seja feito, então você deve reescrever a frase de acordo com sua vontade. 12.  Deixe as velas queimar. E é isso ae! Bem rápido e prático! O seu trabalho vai ficar algo parecendo com isso Este   é   o   trabalho   que   eu   fiz   com   Sitri.   O   prazo   para   alcançar   o   acordo   foi   de   3   semanas,por   isso   repeti   o   processo   3   vezes   na   semana.   O   resultado   se   deu em 2 semanas. Sitri e sua Legião agiram rápido, apesar de algumas situações complicada