Contatos 11 3492-0169 11-5513-6064        11- 98255-6755 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS VOLTAR PRÓXIMA HOME
OROBÔ Cola acuminata, (Garcinia Kola - Amarga) Originário da África chegou ao Brasil através dos escravos, seu fruto maduro e fermentado é usado medicinalmente, para combater o stress. Descrição: Planta da família das Sterculiaceae, também conhecida como ervilha de pombo, jero e obi.Trata-se de uma árvore verdejante de até 20m de altura, tronco ramificado desde a base. Sua casca é verde-escura, áspera e quebradiça com a idade. Os ramos são folhosos apenas nas extremidades. E nativa do Togo, Serra Leoa e Angola. Hoje é encontrada em várias regiões tropicais.
História: Tem sido usada por séculos pelos africanos e ainda é artigo de comércio neste continente onde geralmente é mascada fresca. Foi trazida para o Novo Mundo por eles por ocasião do Tráfico de Escravos. Indicações e utilização: Suprimento; Estimulante cerebral; Cansaço físico e mental por stress, excesso de trabalho e práticas esportivas, exaustão; Depressão, melancolia, enxaquecas; Suprime a fome e a sede. Um fruto muito utilizado no Candomblé assim como o obi. Importantíssimo e imprescindível em inúmeros atos do culto aos Orixás e divindades de outros cultos africanos. O orobô é a semente de uma árvore de médio porte cuja espécie é a Garcinia Kola Heckel. É conhecida também como bitter kola (cola amarga) ou falsa noz de cola. O fruto de onde se retiram as sementes é semelhante a um pêssego, mas a família da planta é variada, também encontrada na Polinésia, Ásia e Austrália. É tido como uma semente quente, sendo oferecido a Xangô, em vez de obis como a outros Orixás, especialmente aos masculinos, bem como a Oyá. Os orogbo representam as pedras de raios no culto a Xangô, já no culto a Eguns, a quem também é oferecida, representa os descendentes familiares e, por este fato está relacionado à morte. Os orobôs também são utilizados em consultas à divindade, assim como o obi, abertos em outro processo já que não é formado por vários gomos (cotilédones). Orogbo Fruto quente relativo à morte, no entanto propicia felicidade, alegria e saúde no Igbori ou como oferta a qualquer outro Orisa, principalmente Obaluwaiye, Shango, Ogun, Egungun. No caso de Sango e os Egungun é utilizado o Orogbo em vez do obi. O orogbo ou Obi são também usados para dar forças às palavras em forma de um Afoshè que deve ser mastigado juntamente com Ataarê, esse Afoshè fornece força às palavras que saem da boca nos momentos de invocações, exaltação, orações, canções e pedidos e etc.como trabalhar em casa Fruto sagrado dos Orixás, a exemplo do obi, não pode de forma alguma ser aberto e jogado por quem não seja feito no santo ou mesmo que não tenha suas obrigações em dia. Seu uso é dentro do Candomblé não pertencendo aos rituais da Umbanda. Também é muito apreciado por Águé, sendo que em seus rituais é bom que seja sempre usado para aláfia juntamente com o obi e mesmo na falta desse o orobô pode ser utilizado sozinho. Ainda existem algumas casas que utilizam o orobô no preparo de algumas comidas sagradas dos Orixás. OROGBÔ OU OROBÔ Uma fruta muito utilizada no Candomblé assim como o obi. Importantíssima e imprescindível em assentamentos, boris, feituras e demais atos do Axé Orixá. Pertence a família das Garcínias e seu nome científico é Garcinia Kola Heckel, dentro da nação Angola também é conhecido como “falso nós de cola”. Assim como o obi, os fundamentos de Orixá estão incompletos sem ele, aliás, não fazemos um Yawô sem esse fruto. Originário da África, também é encontrado na Polinésia, Ásia e Austrália. Ao fazermos o abô, banho sagrado utilizado dentro do Candomblé, essa fruta é um dos itens ritualísticos. Podemos também utilizar o orobô para a consulta de um vivente quando se fizer necessário e claro que não substitui o Oráculo de Ifá. Ao mastigarmos, seu gosto desagrada ao paladar, pois incomoda um pouco, porém, é de imensa utilidade nos preceitos religiosos e serve também para “fechar o corpo” em nosso dia a dia. Também sendo utilizado como banho em determinados momentos de nossa vida quando passamos por algum problema que requeira esse banho. Ao efetuarmos rituais de Orixá, depois que rezamos e jogamos o obi, fazemos a reza do orobô e procedemos com seu jogo, para sabermos se o Orixá aceitou ou não a obrigação que está sendo realizada. Ele pode ser utilizado para qualquer Orixá, mas tem um significado para uma determinada qualidade de Xangô que não usa de forma alguma o obi. Fruto sagrado dos Orixás, a exemplo do obi, não pode de forma alguma ser aberto e jogado por quem não seja feito no santo ou mesmo que não tenha suas obrigações em dia. Seu uso é dentro de Candomblé não pertencendo aos rituais da Umbanda. Também é muito apreciado por Águé, sendo que em seus rituais é bom que seja sempre usado para aláfia juntamente com o obi e mesmo na falta desse o orobô pode ser utilizado sozinho. Ainda existem algumas casas que utilizam o orobô no preparo de algumas comidas sagradas dos Orixás.