Contatos 11 3492-0169 11-5513-6064        11- 98255-6755 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS VOLTAR PRÓXIMA HOME
Odu Irete meji Iretemeji / Obeogunda Este Odù diz que paga para se inclinar para conquistar. Humildade é uma virtude muito importante. Este Odù avisa contra intrigas e inimigos que estão tentando despachar prontamente nossas chances de sucesso na vida. Observação ocidental: Esta pessoa marcha pelo seu próprio tambor e tem problema em submeter-se. Na ordem fixa de Òrúnmìlà, Odù Iretemeji ocupa a décima-quarta posição. Este Odù pede por total dedicação a Ifá. Todos os filhos de Iretemeji devem ser devotos de Òrúnmìlà. As crianças do sexo masculino devem ser iniciadas para se tornarem Babalawos. Se as crianças
crerem em Ifá, Òrúnmìlà concederá a elas boa sorte para dinheiro, esposas, filhos, vida longa, e felicidade. De tempos em tempos eles deverão propiciar suas cabeças(ori) de modo a evitar estresse emocional ou humilhação por forças maléficas . Se Iretemeji for lançado para um cliente que estiver doente, Ifá diz que para uma rápida recuperação o cliente deverá realizar os sacrifícios corretos Obaluwaiye (Sanponna) e aos feiticeiros (aje). Os filhos de Iretemeji deveriam aprender a relaxar, porque é fácil para eles ficaram fatigados, aborrecidos, e impacientes quando estão sob pressão. Iret/ Obeogunda é um Odu composto pelos Elementos Fogo sobre Água, com predominância do primeiro, o que indica que o dinamismo inicialmente existente, tende a transformar-se em auxilio poderoso, mas que o beneficio auferido será sempre em favor de outrem. É o macho que luta e se sacrifica em beneficio da fêmea. A atividade é impulsiva e independe da vontade do agente. É o sem juízo. Suas cores são o vermelho vivo, o negro, o cinzento, o azul e o branco. É um Odu masculino, representado esotericamente por um quadrado dentro de um círculo. O circulo representa o ignoto, o céu. O quadrado representa o domínio do que conhecemos o mundo material, a Terra. “O círculo, representação de tudo o que desconhecemos, chama-se “Weké”; Weke- Non”, mestre do oculto é um dos nomes honoríficos de Lisa e de Dàgbada Hwedo. Gbe designa tudo o que é perceptível aos nossos sentidos, a vida, da forma que a percebemos. Gbé-To”, Pai da vida - Aquele que Comanda - Pai da Criação visível. Irete, no entanto é visível através da figura em forma de circulo, e para melhor enquadramento do retângulo, ao qual devemos, na verdade, dirigir nossa atenção. É este quadrado que na verdade, pertence à Irete. Se tivermos que “colorir” esta figura, representaríamos o céu (circulo), em branco - cor de Lisa, ou em azul - cor do céu conforme vemos e a terra (quadrado), em vermelho - cor do Vodun Sakpata. Aquele que encontrar Irete deve oferecer quarenta búzios, uma galinha e uma garrafa de aguardente à Igbaadú. A Galinha é solta no quintal do Babalawo, devendo ser enterrada, quando morrer naturalmente. Irete é o signo da Terra (Ile Yoruba), Aykungbã (Fon) é de domínio terrestre, desta forma, tudo o que está morto lhe pertence, mas a morte é propriedade de Oyeku Meji. Este signo traz os abscessos, os furúnculos, a varíola, uma febre eruptiva e mortal conhecida como “Nutite” e a lepra {Adete (Yoruba), Gudu ( Fon)}. Os Fon, jamais se referem à lepra por este nome, preferindo chamá-la de Azon-Vo, o mal vermelho. Considerada por eles como doença mais hereditária que contagiosa, tem como principais contra-indicações alimentares; camarão, carne de antílope, carne de porco, pimenta, mamão, vinho de palma, azeite de dendê, feijão e galinha. Este signo não deve jamais ser invocado em companhia de Ose Meji. “Bokonõ ma do o” (Um advinho não pode dizer isto), em referência ao nome do òmò odu gerado no encontro destes dois Odu. Influência o corpo humano, provocando atividade excessiva das funções, irritações e enfermidades inflamatórias. É uma figura muito negativa, que respondendo quase sempre não, anuncia tempos muito ruins. Crises agudas, traumatismos, referimentos por acidentes, hematomas e pancadas também são causados por sua atuação. Seus filhos são sempre impulsionados pelo desejo de conquista e de domínio, não hesitando em para isto, assumirem atitudes ameaçadoras, que visam manter controle permanente sobre a situação. São pessoas corajosas, audazes e presunçosas, mas muito solícitas e prontas a socorrer tantos quantos necessitem de seus préstimos. Possuem caráter altivo, sarcástico e indisciplinado. São amantes do trabalho e batalhadores entusiastas. Versos: Okan awo Oluigbo consultou Ifá para Òrúnmìlà quando ele estava indo para Ife. Foi dito a ele que qualquer pessoa que ele iniciass e não morreria jovem. Folhas de tete e duas pombas devem ser sacrificadas. Ele ouviu e realizou o sacrifício. O tete foi amassado na água para ser usado para lav ar sua cabeça. Ada-ile-o-mukankan consultou Ifá para Iren quando ele ia iniciar dois filhos de Olofin. Foi dito a ele para fazer sacrifício. Ele seguiu o conselho e fez sacrifício. Foi assegurado a ele que qualquer pessoa que ele i niciasse não morreria jovem. O dia que Iren iniciou duas pessoas que não morrera m deve ser chamado Ire-te-meji. Odan-ab’oripegunpegun consultou Ifá para Akon (o caranguejo). Foi dito a ele que ele nunca iria se acostumar com as pessoas no mercado mas se ele quisesse corrigir esta falha em si mesmo, ele deveria sacrificar um pote de azeite (ata- epo) e um xale. Akon se recusou a fazer o sacrifício num dia de mercado. Akon equilibrou seu pote de azeite-de-dendê na sua cabeça. Quando ele tentou se embrulhar com seu xale, o pote caiu de sua cabeça e o azeite manchou suas roupas. O azeite-de-dendê que manchou o corpo de Akon naquele dia permaneceu nas suas costas até hoje. Se qual quer um nascer por este Ifá, este deveria ser advertido a nunca usar um xale para cobrir seu corpo. Adilu-abidisumusumu consultou Ifá para Oluweri, que estava indo comprar Akon (o caranguejo) como um escravo. Foi dito a ele que se ele comprasse o escravo ele j amais precisaria das pessoas. Uma bacia nova, uma cabra, e efun deveriam ser usad os como sacrifício. Oluweri obedeceu e realizou o sacrifício. Akon teve muitos filhos. Oluweri comprou inicialmente escravos humanos. Eles o destrataram e o abandonaram. Apenas o caranguejo (Akon) permaneceu com ele. Coloque o efun na bacia nova e ofereça a cabra à ela.  Itan:       COMO O BODE SE TORNOU O ALIMENTO BÁSICO DE ÈŞÙ. No auge de sua prosperidade, todos os Awo decidiram se reunirem na casa de Eji Elemere, porque ele costumava fazer elaborados banquetes. Ele tinha um moinho de óleo na floresta aonde produzia óleo de palma. Aja e Obuko eram seus dois servos. Num determinado dia após a divinação matutina, ele foi advertido a não ir ao moinho naquele dia. Era o dia do encontro dos Awo. Mas sua esposa logo descobriu que não havia óleo para usar para preparar o banquete daquele dia. Ele decidiu correr ao moinho para pegar óleo de palma para o banquete do dia. Antes de partir, ele alertou seus dois servos para não dizer a ninguém onde estava indo. Antes de retornar do moinho, os Awo começaram a chegar um após o outro. Quando eles perguntaram aos dois servos sobre a localização de seu mestre, Obuko respondeu que ele tinha ido ao moinho de óleo. Ele havia ignorado completamente as instruções do seu mestre em não revelar sua missão para ninguém. Mas Aja, entretanto veio em auxílio da imagem do seu mestre acusando Obuko de estar mentindo. Ele corrigiu que seu mestre tinha apenas ido à floresta atrás da casa para pegar folhas para usar em um sacrifício especial para a reunião do dia. Aja se afastou sorrateiramente através da porta dos fundos da casa, com uma roupa branca na mão e foi avisar seu mestre o que havia acontecido. Aja lhe contou que ele tinha sido traído por Obuko. Eji ede, então colocou a roupa branca trazida pelo leal Aja, dizendo-lhe para retornar para casa para limpar completamente a câmara de conferência. Tão logo Aja seguiu para casa, ele também foi com algumas peças de inhame e fruto seco de palma (Ironyin em Yorùbá) e (Imom edin em Bini). Chegando a casa ele cumprimentou seus convidados, mas eles se recusaram a responder. Contudo ele se desculpou por não estar em casa para recebê-los, mas explicou que apenas saiu para coletar materiais para fazer um sacrifício especial para o interesse coletivo. Ele revelou que Ifá recomendou o sacrifício como resultado da divinação matutina que ele fez naquele dia. O sacrifício seria feito para Èşu lavando a cabeça de todos eles no altar de Èşu com a cabeça cortada de um bode. Ele se queixou que o único material que faltava para o sacrifício era o bode. Visto que o Obuko era o próprio, todos os olhos se voltaram em sua direção. Obuko foi capturado imediatamente e usado para o sacrifício. Este acontecimento explica por que: 1. É comum se dizer que foi a boca do bode que o matou. 2. Daquele dia o bode se tornou o instrumento popular de sacrifício para Èşu. 3. Aja ou o cão nunca é usado por ỌrúnmIlá para nenhum sacrifício por conta de sua lealdade declarada para seu mestre. Quando este Odu surge na divinação, o consulente deverá ser avisado para tomar cuidado com seu servo que está planejando traí-lo ou mentir contra ele. Característica dos filhos desse odu; Aparentam serem calmas e generosas quando é de seu interesse, quando pobres tem facilidade para arrumar dinheiro, são inteligentes com grande inclinação para iniciação ao culto dos Orixas. Oriki: Irete MEJI A palavra Irete da elisão Ira podera meia fortuna na encruzilhada. A tradução aqui o triturador é sobre a idéia de pressionar sua boa fortuna com o significado terra ter acesso a essa boa sorte em todos os momentos. Irete Meji, Irete Meji, Irete Meji,  o triturador, o triturador Comentário: este é um possível erro de tradução, eu vejo o Irete palavra relacionada com a idéia de furar na boa fortuna e manter disciplina religiosa. mo ser yin, ki e bami te awon ota mi. Peço-lhe, suprimir todos os meus inimigos e destruir seu poder. Comentário: este é um pedido de proteção como resultado de Elevação espiritual. Mole tagbaratagbara ganhou ki e ma Jeki nr'ibi abiku omo. Que o meu não sofrer pela morte de meus filhos. Comentário: este é um pedido claro para uma vida longa e boa sorte da família. Irete Meji. Ase.  Que assim seja