Contatos 11 3492-0169 11-5513-6064 11- 98255-6755
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
O RITUAL DE INICIAÇÃO EXU
O ritual de iniciação na Quimbanda tem como objetivo aproximar o iniciante às entidades, e é um compromisso entre ambos, estabelecendo um pacto que em hipótese alguma poderá ser quebrado. Os rituais de iniciação variam de casa para casa, e por isso abaixo iremos descrever apenas uma forma de se fazer o ritual de iniciação. Após o pretendente ter sido colocado à prova, sendo testado sua postura, seu caráter, o interesse pela Quimbanda e também a fidelidade com os demais adeptos, ele deverá permanecer confinado em um ambiente fechado durante o período necessário para realização de sua inicialização, podendo somente receber a visita do sacerdote responsável por conduzir o ritual. O local deve ser escolhido com antecedência e preparado pelo sacerdote que será orientado pelo Exu cabeça do terreiro. Geralmente os rituais de confinamentos são realizados em terreiros ou em casas que tenham um cômodo aonde a pessoa possa permanecer isolada e realizar todos os tipos de oferendas. É importante saber que se o local escolhido for um terreiro, o mesmo não poderá receber nenhum outro tipo de trabalho ou oferenda durante o período da realização do ritual de inicialização. Após o término do ritual o adepto passa a ter envolvimento direito com as entidades, sendo através de práticas ritualísticas ou da mediunidade. É importante esclarecer que não são todos os adeptos que possuem o dom para desenvolver a mediunidade, alguns podem levar anos para conseguir desenvolver esse processo, outros jamais conseguiram. O ritual será dividido em duas etapas, sendo a primeira o início do confinamento, que deverá ser iniciado na última sexta feira do mês e terá a duração de sete noites, portanto começará em uma sexta feira e terminando na outra. A primeira parte do ritual de inicialização deverá contar com os seguintes materiais: - 1 colar de pedras para consagração nas cores vermelho e preto - 1 vela de 7 dias preta - 7 velas metade preta e vermelha - 7 charutos - 7 cigarrilhas - 1 garrafa de conhaque / Uísque - 1 garrafa de champanhe - 1 copo virgem - 1 taça virgem - 7 caixas de fósforos - 1 esteira de chão feita de palha (sem uso) - 1 roupa preta para ser utilizada durante o ritual - 7 dentes de alho - 1 panela ou canecão (sem uso) - 1 toalha de banho preta ou vermelha - Encher sete garrafas de plástico com água retirada de um rio ou do mar. Inicie o ritual na última sexta-feira, no período noturno. Coloque a água de uma das sete garrafas que contem água de rio ou mar para ferver dentro da panela junto com um pedaço de charuto que tenha sido usado pelo exu cabeça do terreiro. até o banheiro e derrame toda a água em sua cabeça e corpo, em seguida se enxugue com a mesma toalha que deverá ser utilizada durante as sete noites. Vista a roupa preta e coloque o colar em seu pescoço acenda a vela de sete dias e uma vela pequena. Abra as duas bebidas e coloque o conhaque no copo e o champanhe na taça. Certifique-se de que as bebidas não acabem antes do término dos sete dias. Acenda um charuto e uma cigarrilha dando sete baforadas em ambos. Coloque o charuto sobre o copo e a cigarrilha sobre a taça. Os palitos de fósforo que foram utilizados deveram ser colocados em um saco plástico para que no final das sete noites possam ser despachados na encruzilhada, em seguida coma um dente de alho e após mastigar e engolir deite-se sobre a esteira e durma. No dia seguinte quando acordar levante-se e não mecha em nada, não tire a roupa e o colar de seu corpo. A roupa e o colar poderão ser retirados quando a água for derramada sobre o corpo. É importante saber que você não poderá escovar os dentes é tomar banho durante o confinamento. Ao anoitecer repita novamente todo o procedimento feito anteriormente e lembre-se que todo o procedimento deve ser realizado na mesma sequência da noite anterior durante todas as noites restantes. Se alguma coisa sair errado comunique o sacerdote, dependendo do erro o ritual deverá ser iniciado novamente. Segunda Etapa: Após a conclusão da primeira etapa do ritual o adepto tem que dar continuidade à próxima etapa, que já pode ser realizada no dia seguinte. É importante saber que após o término da primeira etapa do ritual o adepto tem o prazo de sete dias para dar continuidade, se o prazo estipulado de sete dias for ultrapassado o adepto obrigatoriamente terá que cumprir novamente a primeira etapa do ritual, que poderá ser realizado no mês seguinte. A segunda etapa do ritual de inicialização é a ultima a ser cumprida e após seu término o adepto estará pronto para desenvolver seus trabalhos e administrar seu próprio terreiro(templo). Antes de dar continuidade à segunda etapa do ritual o adepto e o sacerdote terão que definir o local aonde o ritual de oferenda será realizado. Se o mesmo for realizado dentro do templo (terreiro) o adepto e o sacerdote terão o prazo de 24 horas após o término do ritual para retirar do local as oferendas, que terão que ser despachadas na mata, cemitério, beira do rio ou mar. É importante saber que se o ritual for realizado na mata, cemitério, rio ou mar, não é necessário fazer nenhum tipo de locomoção para outro local, o adepto deverá retirar do local os instrumentos de seu uso pessoal como faca,objetos e roupas de uso ritualístico. Os materiais a serem pedidos para a realização da segunda etapa do ritual costumam variar de acordo com as exigências do Exu cabeça do templo aonde será realizado o procedimento. Vamos ter como base os materiais que foram exigidos durante a conclusão do ritual de inicialização de um dos membros da O.V.S. Materiais necessários

para

a

segunda

etapa

do

ritual:

-

1

vela

grande,

preta

-

13

velas

vermelhas

-

21

velas

pretas

-

1

vela

de

7

dias

-

3

velas

em

formato

de

tridente

-

1

assentamento

para

seu

Exu

cabeça

-

1

metro

de

pano

vermelho

-

1

metro

de

pano

preto

-

7

rosas

vermelhas

acompanhadas

de

um

vaso

de

barro

-

7

cravos

vermelhos

acompanhados

de

um

vaso

de

barro

-

1

perfume

feminino

-

1

capa

preta

-

7

tridentes

femininos

-

7

tridentes

masculinos

-

7

cigarrilhas

13

charutos

-

21

cigarros

-

7

caixas

de

fósforos

-

1

taça

para

bebidas

masculina

-

1

taça

para

bebidas

femininas

-

13

copos

-

1

lata

de

refrigerante

-

1

garrafa

de

champanhe

-

7

garrafas

de

bebidas

variadas

entre

licor,

conhaque

,

pinga

,Uísque

entre

outros.

-

1

cabrito

preto

-

7

galos

pretos

-

8

bacias

grandes

de

barro

-

7

pacotes

de

farofa

-

7

pacotes

de

pimenta

-

7

potes

de

azeite

de

dendê

-

1

tubo

de

pólvora

O

ritual

deve

ser

iniciado

na

presença

do

Exu

cabeça

do

templo

que

contará

com

o

auxílio

do

adepto

e

de

outras pessoas que frequentam o templo.

O

ritual

deve

ser

iniciado

ao

acender

todas

as

velas

e

charutos,

em

seguida

o

Exu

presente

deve

iniciar

a

cerimônia

de

inicialização,

realizando

a

parte

de

comprometimento

do

adepto.

Após

a

realização

dessa

etapa

todos

os

materiais

que

farão

parte

da

oferenda

devem

ser

colocados

em

seus

devidos

locais,

as

bebidas

devem

ser

abertas

e

espalhadas

nos

copos

e

taças.

É

importante

saber

que

as

bebidas

não

podem

ser

misturadas,

cada

bebida deve permanecer em seu devido copo ou taça.

O

ritual

de

sacrifício

é

a

ultima

etapa,

e

deve

ser

iniciado

após

todos

os

materiais

estiverem

em

seus

devidos

lugares.

Os

primeiros

animais

a

serem

sacrificados

são

os

galos,

que

deveram

ter

seu

sangue

derramado

em

uma

única

bacia.

Após

o

último

dos

sete

galos

ser

sacrificado

é

a

vez

do

cabrito.

É

importante

saber

que

o

cabrito

é

um

animal

maior,

que

tem

mais

força,

por

esse

motivo

o

mesmo

deve

ser

sacrificado

por

três

pessoas

ou

mais

para

certificar-se

de

que

seu

sangue

não

seja

desperdiçado

e

que

o

animal

tenha

uma

morte

rápida.

Assim

como

os

galos,

o

cabrito

deverá

ser

sacrificado

e

ter seu sangue derramado em uma única bacia.

Se

o

ritual

for

realizado

dentro

do

templo

o

mesmo

será

finalizado

no

dia

seguinte

,após

todos

os

materiais

e

corpos

dos

animais

serem

retirados

e

entregues

na

mata

ou

cemitério.Se

o

ritual

for

realizado

na

mata

ou

cemitério

o

mesmo

deverá

ser

finalizado

no

local

e

mesmo

dia.

É

importante

saber

que

o

adepto

deve

tomar

posse

da

faca,

capa

e

roupas que deverão ser utilizados durante a realização de outras cerimônias e rituais.

Após

a

finalização

do

ritual

de

inicialização

o

adepto

deve

aguardar

por

um

mês

para

iniciar suas atividades espirituais e oferendas.

Existem

alguns

casos

que

ao

iniciar

suas

atividades

ritualísticas

o

adepto

encontrará

certa

dificuldade

durante

a

realização

das

cerimônias

e

rituais,

nesse

caso

o

mesmo

deve

contar

com

a

ajuda

do

sacerdote

responsável

pelo

ritual

de

inicialização

até

que

possa

estar devidamente preparado para seguir seu caminho.

EXU PRA CONSEGUIR O QUE QUISER
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
TEL FIXO 11 5513-6064
O RITUAL DE INICIAÇÃO EXU
O ritual de iniciação na Quimbanda tem como objetivo aproximar o iniciante às entidades, e é um compromisso entre ambos, estabelecendo um pacto que em hipótese alguma poderá ser quebrado. Os rituais de iniciação variam de casa para casa, e por isso abaixo iremos descrever apenas uma forma de se fazer o ritual de iniciação. Após o pretendente ter sido colocado à prova, sendo testado sua postura, seu caráter, o interesse pela Quimbanda e também a fidelidade com os demais adeptos, ele deverá permanecer confinado em um ambiente fechado durante o período necessário para realização de sua inicialização, podendo somente receber a visita do sacerdote responsável por conduzir o ritual. O local deve ser escolhido com antecedência e preparado pelo sacerdote que será orientado pelo Exu cabeça do terreiro. Geralmente os rituais de confinamentos são realizados em terreiros ou em casas que tenham um cômodo aonde a pessoa possa permanecer isolada e realizar todos os tipos de oferendas. É importante saber que se o local escolhido for um terreiro, o mesmo não poderá receber nenhum outro tipo de trabalho ou oferenda durante o período da realização do ritual de inicialização. Após o término do ritual o adepto passa a ter envolvimento direito com as entidades, sendo através de práticas ritualísticas ou da mediunidade. É importante esclarecer que não são todos os adeptos que possuem o dom para desenvolver a mediunidade, alguns podem levar anos para conseguir desenvolver esse processo, outros jamais conseguiram. O ritual será dividido em duas etapas, sendo a primeira o início do confinamento, que deverá ser iniciado na última sexta feira do mês e terá a duração de sete noites, portanto começará em uma sexta feira e terminando na outra. A primeira parte do ritual de inicialização deverá contar com os seguintes materiais: - 1 colar de pedras para consagração nas cores vermelho e preto - 1 vela de 7 dias preta - 7 velas metade preta e vermelha - 7 charutos - 7 cigarrilhas - 1 garrafa de conhaque / Uísque - 1 garrafa de champanhe - 1 copo virgem - 1 taça virgem - 7 caixas de fósforos - 1 esteira de chão feita de palha (sem uso) - 1 roupa preta para ser utilizada durante o ritual - 7 dentes de alho - 1 panela ou canecão (sem uso) - 1 toalha de banho preta ou vermelha - Encher sete garrafas de plástico com água retirada de um rio ou do mar. Inicie o ritual na última sexta-feira, no período noturno. Coloque a água de uma das sete garrafas que contem água de rio ou mar para ferver dentro da panela junto com um pedaço de charuto que tenha sido usado pelo exu cabeça do terreiro. até o banheiro e derrame toda a água em sua cabeça e corpo, em seguida se enxugue com a mesma toalha que deverá ser utilizada durante as sete noites. Vista a roupa preta e coloque o colar em seu pescoço acenda a vela de sete dias e uma vela pequena. Abra as duas bebidas e coloque o conhaque no copo e o champanhe na taça. Certifique-se de que as bebidas não acabem antes do término dos sete dias. Acenda um charuto e uma cigarrilha dando sete baforadas em ambos. Coloque o charuto sobre o copo e a cigarrilha sobre a taça. Os palitos de fósforo que foram utilizados deveram ser colocados em um saco plástico para que no final das sete noites possam ser despachados na encruzilhada, em seguida coma um dente de alho e após mastigar e engolir deite-se sobre a esteira e durma. No dia seguinte quando acordar levante-se e não mecha em nada, não tire a roupa e o colar de seu corpo. A roupa e o colar poderão ser retirados quando a água for derramada sobre o corpo. É importante saber que você não poderá escovar os dentes é tomar banho durante o confinamento. Ao anoitecer repita novamente todo o procedimento feito anteriormente e lembre-se que todo o procedimento deve ser realizado na mesma sequência da noite anterior durante todas as noites restantes. Se alguma coisa sair errado comunique o sacerdote, dependendo do erro o ritual deverá ser iniciado novamente. Segunda Etapa: Após a conclusão da primeira etapa do ritual o adepto tem que dar continuidade à próxima etapa, que pode ser realizada no dia seguinte. É importante saber que após o término da primeira etapa do ritual o adepto tem o prazo de sete dias para dar continuidade, se o prazo estipulado de sete dias for ultrapassado o adepto obrigatoriamente terá que cumprir novamente a primeira etapa do ritual, que poderá ser realizado no mês seguinte. A segunda etapa do ritual de inicialização é a ultima a ser cumprida e após seu término o adepto estará pronto para desenvolver seus trabalhos e administrar seu próprio terreiro(templo). Antes de dar continuidade à segunda etapa do ritual o adepto e o sacerdote terão que definir o local aonde o ritual de oferenda será realizado. Se o mesmo for realizado dentro do templo (terreiro) o adepto e o sacerdote terão o prazo de 24 horas após o término do ritual para retirar do local as oferendas, que terão que ser despachadas na mata, cemitério, beira do rio ou mar. É importante saber que se o ritual for realizado na mata, cemitério, rio ou mar, não é necessário fazer nenhum tipo de locomoção para outro local, o adepto deverá retirar do local os instrumentos de seu uso pessoal como faca,objetos e roupas de uso ritualístico. Os materiais a serem pedidos para a realização da segunda etapa do ritual costumam variar de acordo com as exigências do Exu cabeça do templo aonde será realizado o procedimento. Vamos ter como base os materiais que foram exigidos durante a conclusão do ritual de inicialização de um dos membros da O.V.S. Materiais necessários

para

a

segunda

etapa

do

ritual:

-

1

vela

grande,

preta

-

13

velas

vermelhas

-

21

velas

pretas

-

1

vela

de

7

dias

-

3

velas

em

formato

de

tridente

-

1

assentamento

para

seu

Exu

cabeça

-

1

metro

de

pano

vermelho

-

1

metro

de

pano

preto

-

7

rosas

vermelhas

acompanhadas

de

um

vaso

de

barro

-

7

cravos

vermelhos

acompanhados

de

um

vaso

de

barro

-

1

perfume

feminino

-

1

capa

preta

-

7

tridentes

femininos

-

7

tridentes

masculinos

-

7

cigarrilhas

13

charutos

-

21

cigarros

-

7

caixas

de

fósforos

-

1

taça

para

bebidas

masculina

-

1

taça

para

bebidas

femininas

-

13

copos

-

1

lata

de

refrigerante

-

1

garrafa

de

champanhe

-

7

garrafas

de

bebidas

variadas

entre

licor,

conhaque

,

pinga

,Uísque

entre

outros.

-

1

cabrito

preto

-

7

galos

pretos

-

8

bacias

grandes

de

barro

-

7

pacotes

de

farofa

-

7

pacotes

de

pimenta

-

7

potes

de

azeite

de

dendê

-

1

tubo

de

pólvora

O

ritual

deve

ser

iniciado

na

presença

do

Exu

cabeça

do

templo

que

contará

com

o

auxílio

do

adepto

e

de

outras

pessoas

que

frequentam

o

templo.

O

ritual

deve

ser

iniciado

ao

acender

todas

as

velas

e

charutos,

em

seguida

o

Exu

presente

deve

iniciar

a

cerimônia

de

inicialização,

realizando

a

parte

de

comprometimento

do

adepto.

Após

a

realização

dessa

etapa

todos

os

materiais

que

farão

parte

da

oferenda

devem

ser

colocados

em

seus

devidos

locais,

as

bebidas

devem

ser

abertas

e

espalhadas

nos

copos

e

taças.

É

importante

saber

que

as

bebidas

não

podem

ser

misturadas,

cada

bebida

deve

permanecer

em

seu

devido

copo

ou taça.

O

ritual

de

sacrifício

é

a

ultima

etapa,

e

deve

ser

iniciado

após

todos

os

materiais

estiverem

em

seus

devidos

lugares.

Os

primeiros

animais

a

serem

sacrificados

são

os

galos,

que

deveram

ter

seu

sangue

derramado

em

uma

única

bacia.

Após

o

último

dos

sete

galos

ser

sacrificado

é

a

vez

do

cabrito.

É

importante

saber

que

o

cabrito

é

um

animal

maior,

que

tem

mais

força,

por

esse

motivo

o

mesmo

deve

ser

sacrificado

por

três

pessoas

ou

mais

para

certificar-se

de

que

seu

sangue

não

seja

desperdiçado

e

que

o

animal

tenha

uma

morte

rápida.

Assim

como

os

galos,

o

cabrito

deverá

ser

sacrificado

e

ter

seu

sangue

derramado

em uma única bacia.

Se

o

ritual

for

realizado

dentro

do

templo

o

mesmo

será

finalizado

no

dia

seguinte

,após

todos

os

materiais

e

corpos

dos

animais

serem

retirados

e

entregues

na

mata

ou

cemitério.Se

o

ritual

for

realizado

na

mata

ou

cemitério

o

mesmo

deverá

ser

finalizado

no

local

e

mesmo

dia.

É

importante

saber

que

o

adepto

deve

tomar

posse

da

faca,

capa

e

roupas

que

deverão

ser

utilizados

durante

a

realização

de

outras

cerimônias e rituais.

Após

a

finalização

do

ritual

de

inicialização

o

adepto

deve

aguardar

por

um

mês

para

iniciar

suas

atividades

espirituais e oferendas.

Existem

alguns

casos

que

ao

iniciar

suas

atividades

ritualísticas

o

adepto

encontrará

certa

dificuldade

durante

a

realização

das

cerimônias

e

rituais,

nesse

caso

o

mesmo

deve

contar

com

a

ajuda

do

sacerdote

responsável

pelo

ritual

de

inicialização

até

que

possa

estar

devidamente

preparado

para

seguir seu caminho.

EXU PRA CONSEGUIR O QUE QUISER